1840: intervenção do Presidente no conflito entre indígenas


Ao Diretor Geral dos Índios Apiacás

O Presidente da Província acusa a recepção do officio do Senhor José Soares Muniz, Inspetor dos índios Apiacás de 10 do corrente mês (10/12/1840) no qual participa a notícia do aparecimento dos dous Capitães Bravi e Manoel, e mais sete soldados todos de nação Apiacás nessa Villa a cumprimentar ao mesmo Sr. Inspetor, brindando-o por essa ocasião com uma arroba de salsa parrilha, que generosamente oferecia para a Botica Pública desta Capital; assim como a certeza que os mesmos dão de se acharem aldeados nas imediações do Salto Augusto, e mais um outro Capitão de nome Cochoari de numerosa tribo, mostrando desejos de que fossemos povoar as espaçosas campinas de criar que existem desde o seu estabelecimento até o Rio S. Manoel, aonde se faria descoberta minas de diamante, ouro, e mais preciosidades, protegendo-os assim contra a violência de uma horda inimiga que de tempos a tempos os assalta, pedindo dez arcabuzes, e a necessária munição para tentarem vir por terra até essa Villa, facilitando destarte a abertura de uma estrada entre esta Província e a do Pará, que grandes vantagens oferece ao desalentado comércio, solicitando finalmente o aumento da consignação estabelecida na Portaria de 9 de Janeiro de 1837 a fim de podê-los munir de mais algumas ferramentas, sementes e gado vacum; inteligenciado de tudo, tem a responder-lhe que mui satisfatória foi ao mesmo Presidente tão agradáveis notícias, mormente porque anela a prosperidade e aumento do seu País natal; por isso lhe envia a inclusa ordem dirigida ao Coletor da Estação Provincial para pôr à sua disposição a quantia de cento e cinquenta mil réis além da estabelecida na citada Portaria, a fim de aplica-la em benefício dos mesmos índios, para destarte granjear e estreitar de mais a mais a amizade deles, como tanto nos convém para conseguirmos o lisonjeiro porvir que nos aguarda tais descobertas, ficando certo o dito Sr. Inspector de que encontrará sempre da parte deste Governo toda a proteção que estiver dentro dos suas atribuições para animar e fomentar esta e outras semelhantes descobertas.

Quanto a arroba de Salsa Parrilha, nesta data há expedidas as convenientes ordens a Contadoria da Província para mandar receber.

Os honrados e patrióticos sentimentos dos quais é dotado o Sr José Soares Muniz, afiançam ao Presidente de que ele empregará todos os esforços para se conseguir tão interessante descoberta.

Palácio do Governo em Cuyabá, 19 de Dezembro de 1840.

José da Silva Guimarães”


Agradecimento: Professora Maria Celma Borges – UFMS / Três Lagoas

Compartilhe este artigo nas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *