1854: complicações no recrutamento militar de Sant’Anna do Paranahyba


Ao encarregado do recrutamento em Sant’Anna do Paranahyba

Significo a V.M., em resposta ao seu oficio de 29 de março último, que é um tanto fútil o motivo que alega por ter deixado de proceder ao recrutamento que lhe foi incumbido nessa Freguesia, porquanto nos Artigos 7 e 8 (dos quais remeto-lhe cópia) das Instruções do Decreto n° 73 de 6 de abril de 1841 indica os meios de que na falta de outros podia lançar mão para remeter os recrutas para esta Capital.

Suposto que esteja suspenso o mesmo recrutamento até o dia 17 de junho, cumpre que V.M. tome as medidas convenientes para que desse dia em diante continue com a possível atividade, ficando na inteligência que no dia 1° de julho haverá aí uma escolta de força de linha para conduzir os recrutados para a Capital.

Deus Guarde a V.M.

Palácio do Governo de Mato Grosso em Cuiabá

03 de maio de 1854

AUGUSTO LEVERGER

Sr. Joaquim Lemos da Silva – encarregado do recrutamento na Freguesia de Sant’Anna do Paranahyba”


Nota 01: este Joaquim Lemos exercia a função de professor de primeiras letras, conforme documento anterior.

Nota 02: Artigos 7 e 8 referidos no documento:

Art. 7º Abonar-se-ha a todos os recrutas, desde o dia em que forem julgados nas circumstancias de assentarem praça na primeira Linha, até serem entregues no Quartel General da Côrte, uma gratificação diaria de duzentos e quarenta réis para seu sustento e vestuario: a qual será paga pelos Chefes de Policia, até o dia em que lhes forem apresentados, ao conductor dos recrutas, se estes declararem na sua presença que se achão pagos, ou aos mesmos recrutas se a não tiverem recebido: e a mesma gratificação lhes será paga adiantada, pelos ditos Chefes de Policia, pelo tempo que houverem de gastar na sua viagem até serem entregues aos Presidentes das Provincias, fazendo-se a conta á vista do itinerario que se lhes der.

Art. 8º As escoltas de Guardas Nacionaes, que acompanharem os recrutas, perceberáõ os vencimentos de soldo e etape correspondentes ás suas praças, como se fossem de primeira Linha, desde o dia em que sahirem de suas casas até aquelle em que deverem regressar a ellas, fazendo-se a conta para a volta á razão de quatro leguas por dia, á vista das competentes guias.


o assunto continua nesta carta de 3 de junho…


Ao encarregado do recrutamento em Sant’Anna do Paranahyba

Partem nesta data um Inferior e seis praças do Batalhão de Caçadores para render os de Artilharia que se acham destacados nessa Freguesia e devem recolher-se a esta Capital.

Cumpre que V.M. aproveite esta ocasião para remeter os indivíduos que tiver recrutado como lhe determinei em ofício de 3 de maio do mês próximo findo.

Deus Guarde a V.M.

Palácio do Governo de Mato Grosso em Cuiabá

3 de junho de 1854

AUGUSTO LEVERGER

[Ao] Sr. Capitão da Guarda Nacional Joaquim Lemos da Silva – encarregado do recrutamento na Freguesia de Sant’Anna do Paranahyba.”

…e o desfecho infeliz: a fuga do aleijado.



Ao encarregado do recrutamento em Sant’Anna do Paranahyba

Recebi o oficio de V.M. de 24 de agosto ultimo, comunicando-me ter entregado ao Sargento Francisco de Paula Brandão, para conduzir a esta Capital, os recrutas constantes da guia que acompanhou o dito ofício. Três deles ficam com praça em um dos corpos da Província, tendo-se evadido em caminho um que se dizia aleijado.

Espero que breve me remeta os que faltam para o número que deve dar essa Freguesia, o que muito lhe recomendo.

Deus guarde a V.M.

Palácio do Governo de Mato Grosso em Cuiabá

13 de novembro de 1854

AUGUSTO LEVERGER Sr.

[Ao] Oficial encarregado do recrutamento


Agradecimento: Professora Maria Celma Borges – UFMS / Três Lagoas

Compartilhe este artigo nas redes sociais:

Um comentário em “1854: complicações no recrutamento militar de Sant’Anna do Paranahyba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *